Posts

SP está sob risco de nova crise hídrica com baixa do sistema Cantareira

Como a Envolverde vem alertando em seu noticiário, novamente São Paulo está sob risco de ter uma crise hídrica. Os primeiros sinais surgiram no verão pouco chuvoso e no outono praticamente seco que ainda está em vigor.

O nível de água do sistema Cantareira, principal manancial da região metropolitana de São Paulo, está em 45,8% sem considerar a reserva do chamado “volume morto”.

Leia mais

SP: Sistemas Cantareira e Tietê entram em estado de alerta

Marco Aurélio, Gerente de Novos Negócios da CAS Tecnologia, fala sobre o sistema de Medição Individualizada e economia de água para o Hora News, da Record News.

Marco Aurélio, Gerente de Novos Negócios da CAS Tecnologia, fala sobre a solução de Medição Individualizada. 

Por: Renata Theodoro

Aumenta a procura por medição individualizada em edifícios existentes

O aumento nas tarifas de água tem incentivado a busca pela redução do consumo e, principalmente, dos desperdícios. Nesse sentido, a medição individualizada começa a ser cada vez mais adotada, até mesmo em edifícios antigos, com várias prumadas.

“Em 2014, tivemos três soli­citações de conversão. Neste ano, já foram oito”, diz Marco Aurélio Teixeira, gerente comercial da CAS Tecnologia, de São Paulo, especializada em solu­ções para telemedição e tratamento de dados de medição. A empresa passou de 20 mil pontos de medição individualizada de água instalados em 201 3 para cerca de 35 mil pontos até o início deste ano.

Presente em cerca de 150 con­domínios, a solução da CAS é homo­logada pelo ProAcqua – Programa de Qualidade e Produtividade de Sistemas de Medição Individualiza­da de Água, da Sabesp, responsável por certificar empresas que realizam a adequação da infraestrutura das de­pendências internas dos condomínios.

Segundo o gerente, a conversão de infraestrutura em edifícios existentes para permitir a medição individualizada custa cerca de R$ 1800/2000 por apartamento. “O invetsimento se paga rapidamente”, garante. Além da redu­ção média de 20º/o no consumo de água, os bônus oferecidos pela concessionária de água ( descontos sobre volume economizado) podem redu­zir os gastos pela metade – em alguns casos reais, chegaram a 60°/o.

“Há mudanças reais de comportamento e detecção de vazamentos que antes passavam despercebidos”, diz. Para se ter uma ideia do tempo de obra, um edifício com 70 apartamentos e três colunas leva 10 meses para fazer a adaptação.

Desde 2012, a fabricante norte americana na Sensus detém 15°/o da CAS Tecnologia. Fruto dessa parceria, a CAS trouxe para a so­lução de Smart Water, rede de medição inte­ligente de água, que permite a identificação de irregularidades e perdas em tempo real.

“Como realizamos a coleta diária do consumo de cada apartamento, podemos identificar anomalias como vazamentos”, diz.

A aliança envolve a aplicação da tecnologia de telemetria para os sistemas de água, energia e gás. Para o mercado de água, a Sensus oferece dois modelos de hidrômetros, um mais básico e outro com sistema de comunicação via rádio incorporado. A CAS também pode utilizar outros hidrômetros de mercado, desde que homologados pelo INMETRO.

A empresa está desenvolvendo um aplicativo para acompanhamento em tempo real do consumo em tablets e Smartphones, além de dados como média dos últimos três meses e meta de economia. O aplicativo é fácil de usar, pois roda em IOS e Android. O sistema também ajuda a identificar vazamentos. “Há maior proatividade na detecção de possíveis vazamentos não visíveis, pois hoje o consumidor só fica sabendo do problema quando recebe a conta, ou seja, quando a água Já foi para o ralo”, finaliza o gerente.