A CAS Tecnologia participou, no último dia 28 de setembro, do Workshop Telemetria promovido pela cooperativa CERTAJA Energia em Taquari, no Rio Grande do Sul. O evento reuniu dezenove distribuidoras, inclusive cooperativas, que discutiram soluções e cases apresentados por empresas desenvolvedoras de software e hardware.

O encontro proporcionou o alinhamento do conhecimento sobre telemetria entre as pequenas distribuidoras através da interação dos profissionais das áreas de Faturamento, Medição e TI com os desenvolvedores de soluções aplicáveis ao perfil de mercado das cooperativas.

Segundo Pablo Santana, Arquiteto de Soluções da CAS Tecnologia, e Fabio Ferro, Gerente de Contas da CAS Tecnologia, a empresa participou do evento com o objetivo de apresentar o case da CERTAJA, que utiliza a Plataforma Hemera e já conquistou resultados relevantes, tanto em relação aos custos na coleta de dados de energia como principalmente na recuperação de perdas e garantia de receitas.

“Queremos mostrar que os resultados positivos proporcionados por nossas soluções estão acessíveis também para as distribuidoras de menor porte . O compartilhamento do conhecimento pode criar uma rede de intercooperação, visando a redução de custos e a redução de perdas não técnicas das cooperativas”, complementou Santana.

O presidente da CERTAJA, Renato Martins, em seu pronunciamento, enfatizou a importância da intercooperação para encontrar soluções que otimizem processos com redução de custos, proporcionando uma energia confiável com o menor custo possível para o cooperado.

Payback foi alcançado em prazo muito inferior ao estimado

A CERTAJA apresentou a topologia de telemetria implantada na empresa e os resultados obtidos. Ressaltou que os casos de irregularidades identificados nos sistemas de medição pagaram o investimento realizado em aproximadamente quatro meses, sendo que a estimativa inicial era de um payback de 50 meses, considerando o custo de leitura.

Um ponto alto do evento foi a questão referente à Tarifa Branca (na qual os custos de energia passarão a ter valores diferenciados conforme o horário de uso). Os participantes apresentaram as alternativas que estão em desenvolvimento para serem implantadas a partir de janeiro, quando o usuário poderá optar por esta modalidade tarifária.

Para a implantação da Tarifa Branca serão utilizados medidores com funcionalidades avançadas, comumente chamados de smart meter, que são reconhecidos como um elemento fundamental para a implantação das redes elétricas inteligentes – smart grid.

Estes conceitos abrangem a integração das redes elétricas convencionais com a TIC – Tecnologia da Informação e Comunicação – abrangendo, inclusive, a tão falada internet das coisas (IoT), onde uma rede de objetos físicos, veículos, prédios e outros possuem tecnologia embarcada, sensores e conexão com redes capazes de coletar e transmitir dados em tempo real.

As empresas que apresentaram as soluções desenvolvidas e em desenvolvimento foram a CERTAJA Energia, CAS Tecnologia, USEALL, Landis Gyr e Sul Engenharia.

O evento foi encerrado com uma mesa redonda, onde representantes da CERTAJA, USEALL, CAS, LANDIS GYR E SUL ENGENHARIA responderam as dúvidas dos participantes. Ederson Madruga, gerente de distribuição da CERTAJA, foi o mediador.

As distribuidoras de energia participantes foram Coopersul, Coopernorte, Creral, Cooperluz, Creluz, Eletrocar, Coprel, Nova Palma Energia, Ceriluz, Cerci, Demei, Mux Energia, Celetro, Cermissões, Certel, Cerfox e Hidropan.