Posts

Medição individualizada de água podem ajudar o Brasil a ser mais sustentável

 

Soluções tecnológicas de medição individualizada e dispositivos de redes inteligentes podem ajudar o País a melhorar o gerenciamento da distribuição e o consumo de água no médio e longo prazo.

Um novo estudo do Instituto Trata Brasil aponta que os impactos das mudanças climáticas e do desenvolvimento econômico e demográfico vão fazer com que a demanda por água potável cresça 43,5% por cento até 2040 em todo o Brasil.

Segundo o relatório do estudo, o consumo no território nacional deve atingir 14,299 bilhões de m³ em 2040, o que representa um aumento de 2,837 bilhões de m³ se comparado a 2017.

O estudo foi criado para preparar as gestões pública e privada para melhor projetar a utilização da água durante as próximas décadas, uma vez que se trata de um recurso cada vez mais escasso.

Dados de 2018 do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento) mostram uma situação preocupante no uso da água no Brasil: 40% da água potável é perdida por conta de vazamentos e falta de precisão na medição, gerando um custo de R$ 12 bilhões por ano para o setor.

Medição individualizada da água como solução para o futuro
Tecnologias de medição individualizada são hoje opções disponíveis para a economia e o consumo inteligente do recurso e podem ser implementadas tanto no segmento corporativo quanto no doméstico.

No caso do mercado corporativo, o maior interesse pela medição individualizada pode atender duas demandas: otimização de custos e pela necessidade de conhecer o perfil do consumo de água do negócio e, assim, gerenciar o uso e combater o desperdício ao mesmo tempo.

Com o sistema é possível monitorar todo o setor produtivo da indústria e saber, em detalhes, qual o consumo em cada etapa da operação. Os resultados permitem ao empresário melhorar os processos, reduzir o desperdício no uso de água, ter maior controle e, como resultado final, além de benefícios ambientais, diminuir os custos de fabricação do produto.

No mercado doméstico, com a instalação de um moderno medidor que permite a leitura individualizada do gasto com água nos apartamentos em um prédio ou condomínio, a conta passa a não ser mais conjunta e cada condômino paga exatamente o valor da água consumido. A tecnologia pode ser instalada também em residências e permite ainda identificar vazamentos que podem ocorrer à noite, o que evita o desperdício e custos extras.

Redes inteligentes para as concessionárias de água
Visando melhorar a eficiência da distribuição da água nas cidades, existem hoje soluções tecnológicas chamadas de smart water.

A tecnologia visa promover a sustentabilidade e aumentar a eficiência no sistema de distribuição de água de concessionárias e com isso evitar o desperdício nas adutoras.

Por medição remota, ela permite controlar e atuar em todo o fluxo de distribuição de acordo com a operação da concessionária, de forma integrada, sendo inclusive possível acompanhar eventuais vazamentos e desperdícios em tempo real.

“Já se percebem reduções de custos significativas com o uso dessa tecnologia mundo afora. Essa economia pode ser revertida em melhorias na rede ou mesmo na redução de valores de alguns serviços”, afirma Octavio Brasil, Gerente da CAS Tecnologia.

 

 

Cai o volume de água no Sistema Cantareira em São Paulo

O nível do Sistema Cantareira, um dos mais importantes reservatórios de abastecimento de água de São Paulo, começou a preocupar. O volume caiu para 44,5% da capacidade do manancial. O cenário chama a atenção de especialistas, por conta do risco de uma nova crise hídrica.

Leia mais

SP: Sistemas Cantareira e Tietê entram em estado de alerta

Marco Aurélio, Gerente de Novos Negócios da CAS Tecnologia, fala sobre o sistema de Medição Individualizada e economia de água para o Hora News, da Record News.

Marco Aurélio, Gerente de Novos Negócios da CAS Tecnologia, fala sobre a solução de Medição Individualizada. 

Por: Renata Theodoro

CAS dobra a venda de sistemas de medição individualizada

CAS Tecnologia, de São Paulo, está batendo recordes de vendas de implantação de seus sistemas de medição individualizada em edifícios. Em 2016, a empresa forneceu a solução para mais de 8 mil pontos telemedidos, em uma média de seis condomínios por mês, a maior parte (cerca de 90%) na região metropolitana de São Paulo e o restante no Rio de Janeiro.

Leia mais

Temer sanciona lei que obriga medição individual de água em condomínios

Além de incentivar economia, objetivo é que moradores paguem valor mais justo na taxa, já que hidrômetro permite discriminar consumo de cada apartamento

Lei entra em vigor cinco anos após publicação

Leia mais

LEITURA INDIVIDUALIZADA DO CONSUMO

Aumentou em 2015 a procura pela medição individualizada do consumo d’água em prédios da RMSP, de acordo com a Sabesp. O mercado oferece duas opções em São Paulo: a primeira homologada pela concessionária pública, que emite as contas para cada cliente; outra com gestão das contas contratada junto às empresas de tecnologia na área.

Gerente de produtos de um fornecedor, Marco  Aurélio  Teixeira observa que softwares e aplicativos permitem regis­trar hoje o consumo a cada hora, dados que são utilizados para caçar vazamen­tos e disciplinar o consumidor, levando-o a gastar menos.

Leia mais

Sistema de medição individualizada de água promove controle de gastos, cobrança mais justa e incentiva o uso racional 

Em tempos de crise hídrica, quando a redução de consumo garante descontos na tarifa e o desperdício gera multas, a discussão sobre a individualização de água vem ganhando cada vez mais espaço nos condomínios. Afinal, quando a cobrança é coletiva, de nada adianta a maioria dos moradores economizar se outra parte desperdiça. E o mau uso da água por alguns pode acabar pesando no bolso de todos.

Leia mais

Aumenta a procura por medição individualizada em edifícios existentes

O aumento nas tarifas de água tem incentivado a busca pela redução do consumo e, principalmente, dos desperdícios. Nesse sentido, a medição individualizada começa a ser cada vez mais adotada, até mesmo em edifícios antigos, com várias prumadas.

“Em 2014, tivemos três soli­citações de conversão. Neste ano, já foram oito”, diz Marco Aurélio Teixeira, gerente comercial da CAS Tecnologia, de São Paulo, especializada em solu­ções para telemedição e tratamento de dados de medição. A empresa passou de 20 mil pontos de medição individualizada de água instalados em 201 3 para cerca de 35 mil pontos até o início deste ano.

Presente em cerca de 150 con­domínios, a solução da CAS é homo­logada pelo ProAcqua – Programa de Qualidade e Produtividade de Sistemas de Medição Individualiza­da de Água, da Sabesp, responsável por certificar empresas que realizam a adequação da infraestrutura das de­pendências internas dos condomínios.

Segundo o gerente, a conversão de infraestrutura em edifícios existentes para permitir a medição individualizada custa cerca de R$ 1800/2000 por apartamento. “O invetsimento se paga rapidamente”, garante. Além da redu­ção média de 20º/o no consumo de água, os bônus oferecidos pela concessionária de água ( descontos sobre volume economizado) podem redu­zir os gastos pela metade – em alguns casos reais, chegaram a 60°/o.

“Há mudanças reais de comportamento e detecção de vazamentos que antes passavam despercebidos”, diz. Para se ter uma ideia do tempo de obra, um edifício com 70 apartamentos e três colunas leva 10 meses para fazer a adaptação.

Desde 2012, a fabricante norte americana na Sensus detém 15°/o da CAS Tecnologia. Fruto dessa parceria, a CAS trouxe para a so­lução de Smart Water, rede de medição inte­ligente de água, que permite a identificação de irregularidades e perdas em tempo real.

“Como realizamos a coleta diária do consumo de cada apartamento, podemos identificar anomalias como vazamentos”, diz.

A aliança envolve a aplicação da tecnologia de telemetria para os sistemas de água, energia e gás. Para o mercado de água, a Sensus oferece dois modelos de hidrômetros, um mais básico e outro com sistema de comunicação via rádio incorporado. A CAS também pode utilizar outros hidrômetros de mercado, desde que homologados pelo INMETRO.

A empresa está desenvolvendo um aplicativo para acompanhamento em tempo real do consumo em tablets e Smartphones, além de dados como média dos últimos três meses e meta de economia. O aplicativo é fácil de usar, pois roda em IOS e Android. O sistema também ajuda a identificar vazamentos. “Há maior proatividade na detecção de possíveis vazamentos não visíveis, pois hoje o consumidor só fica sabendo do problema quando recebe a conta, ou seja, quando a água Já foi para o ralo”, finaliza o gerente.

 

De olho no consumo de água

Empresa desenvolve soluções tecnológicas que ajudam a evitar o desperdício

Cerca de 40% da água produzida no Brasil é perdida antes mesmo de chegar à casa dos consumidores. Ou seja, a cada 100 litros produzidos, 37 nem alcançam seu destino final. Em tempos de longos períodos de estiagem e racionamento hídrico, estes números são inadmissíveis e desafiam, cada vez mais, a busca por soluções tecnológicas que ajudem a evitar desperdícios.

Leia mais