Posts

Os novos rumos da geração de energia dentro da perspectiva ESG

Muitos são os desafios que ainda iremos enfrentar, mas o que não deixa margem para dúvidas é que preservar e incentivar a adoção de práticas de ESG é um componente estratégico imprescindível para toda e qualquer tomada de decisão

O uso irrestrito dos recursos naturais para a obtenção de energia tem consequências sérias para o meio ambiente. Em um contexto em que a sociedade se mostra cada vez mais envolvida e mobilizada pelas questões inerentes ao conceito ESG (Environment, Social and Government) – Governança Corporativa, Social e Ambiental –, a tendência é que ganhe ainda mais corpo o uso crescente de fontes renováveis que comprometam o mínimo possível o equilíbrio da natureza, além de uma vigilância ainda mais efetiva sobre as práticas de atuação das geradoras, transmissoras e distribuidoras quanto às suas estruturas internas e, sobretudo, das práticas e campanhas adotadas para um consumo mais consciente.

Leia mais

A indústria 4.0 aliada à eficiência energética

Com o objetivo de reduzir custos e o impacto ambiental do setor elétrico, os sistemas inteligentes mostram-se essenciais – Indústria 4.0

Nos últimos anos, a transformação digital se tornou um dos principais pilares para o funcionamento de indústrias e empresas de diversos setores. Em tempos de pandemia, então, virou requisito básico de sobrevivência dentro do conceito da chamada Indústria 4.0, termo que se refere à aplicação de sistemas inteligentes e de automatização de processos nas linhas de produção, de operações de negócios e de integração de sistemas corporativos, por meio da integração de tecnologias como big data, robótica, internet das coisas (IoT) e inteligência artificial (IA). Estima-se que, até 2025, o potencial de valor da Indústria 4.0, para fabricantes e fornecedores, será de US $ 3,7 trilhões, conforme projeção da consultoria McKinsey. Ainda, o Índice de Automação do Mercado Brasileiro 2020 – que mensura o nível de automação de empresas dos setores de indústria, comércio e serviços – já apontou um crescimento de 3% de 2019 para 2020, com destaque para comércio e serviços, onde a automação cresceu 11% de 2017 a 2020.

Leia mais

Inteligência artificial pode ser saída para a crise hídrica

Tecnologia de Redes Inteligentes (Smart Water) ajuda a evitar o desperdício para que não haja desabastecimento

 

A falta de chuvas já afeta os reservatórios de São Paulo. O Cantareira, maior do estado, opera com metade da sua capacidade (51%). Já o Alto Tietê, segundo maior, atua com 59,3%. No total, o armazenamento de água do estado já é menor do que em 2013. O avanço da inteligência artificial e os investimentos em pesquisa e inovação podem ser uma das saídas para resolver o problema, de acordo com Marco Aurélio Teixeira, especialista em medição de consumo de água e gerente da CAS Tecnologia, empresa desenvolvedora de soluções de redes inteligentes para o mercado de utilities (Energia e Água) e está presente em todo o país, monitorando mais de 2,3 milhões de pontos.

Leia mais

O que era experimento de P&D, hoje preserva vidas. Este poderia ser, sem exagero, um slogan provável para valorizar a promoção de recursos tecnológicos destinados à implantação de redes inteligentes nas companhias de distribuição de eletricidade.

Porque em seu planejamento, nem no mais delirante cenário, as empresas iriam imaginar que seriam obrigadas a pensar duas vezes, ou mais, antes de despachar equipes para atender ocorrências rotineiras em suas redes.

Essa não é mais uma decisão trivial. Com a pandemia de Covid-19, técnicos que estão na linha de frente das operações em campo, passaram a correr risco mortal de contrair uma doença extremamente perigosa e precisam ser resguardados.

Leia mais

Iniciativa que promove encontros, nas sedes das concessionárias, para apresentação e debate sobre os desafios do setor e as soluções da CAS Tecnologia, incentivando a troca de conhecimento entre profissionais do setor.

O evento ocorreu a convite da EDP Espírito Santo, na sua sede em Vitória-ES, com participação de Welson Jacometti, Presidente da CAS, e Juliana Rios, Gerente de Produtos CAS.

O tema principal foi “O Futuro da Telemedição – Novas Oportunidades no Setor Elétrico”, tratando das Tecnologias Disruptivas no Campo das Telecomunicações (IoT), Aprendizado Computacional e Inteligência Artificial.

Foram apresentadas palestras como: Deep Learning, Inteligência Artificial, Novos Conceitos de Firmware e Tecnologias Disruptivas.

Para os convidados que não puderam participar, houve transmissão por videoconferência para algumas localidades do interior do estado.