Regulamentação de Smart Grids e tecnologias IoT trazem novas perspectivas para o setor de Energia

 

O crescimento das fontes de energias renováveis na matriz energética estão alterando a tradicional lógica da geração e da distribuição, deixando de ser atividades centralizadas e burocráticas para atividades cada vez mais democráticas e dinâmicas, já que pequenos empresários e até mesmo pessoas físicas podem assumir o papel de microgeradores de energia elétrica, seja para consumo próprio ou para obter créditos/descontos na sua conta. Mais de 30 mil casas e empresas brasileiras já produzem hoje grande parte da energia de que precisam.

Mesmo com iniciativas inovadoras de algumas concessionárias que já utilizam soluções avançadas em redes inteligentes, um passo decisivo para essa ‘necessária’ e ‘urgente’ transformação do setor de energia elétrica foi dado na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado (PLS 356/2017), que aprovou no ano passado um projeto de lei que incentiva a modernização das instalações do serviço público de distribuição de energia elétrica com possível massificação dessas novas arquiteturas de redes inteligentes (smart grids). A proposta segue para decisão final da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) e prevê uma série de possibilidades para o consumidor, que poderá, por exemplo, ter informações em tempo real sobre seu consumo de energia, da tarifa que está sendo aplicada e da qualidade do serviço, assim como maior facilidade para gerar a própria energia e injetar, na rede elétrica, a energia não utilizada, gerando créditos na sua conta.

“Com o surgimento de novas tecnologias de comunicação IoT e a integração de medidores eletrônicos inteligentes, a interação entre distribuidora e residência torna-se de fato em tempo real. Isso significa um mundo de possibilidades para as concessionárias, que vão desde um controle mais assertivo dos ativos e de previsão de demanda, a possibilidade de parametrização remota de equipamentos de campo e o combate a todos os tipos de perdas e desperdícios”, explica Octávio Brasil, Gerente de Marketing da CAS Tecnologia.

Para consumidores de grandes volumes de energia, as smart grids já são uma realidade nas maiores utilities do Brasil há algum tempo. A captação, a gestão, a análise e a integração com sistemas corporativos de grandes lotes diários de faturamento, já utilizam infraestrutura de TI com grande capacidade de armazenamento e processamento. Contudo, a possibilidade de medir e analisar, em tempo real, dados de milhões de consumidores de energia na baixa tensão, por meio de medidores inteligentes e novas tecnologias de comunicação, certamente representa uma revolução em toda a cadeia.

“As smart grids, é importante ressaltar, também servirão de base para a implementação de uma plataforma maior de Internet das Coisas – IoT -, ou seja, a tendência de conectar diversos dispositivos, como tomadas inteligentes, sistemas de iluminação, som, vídeos e eletrodomésticos à web. Estima-se que o número de dispositivos IoT chegará a 50 bilhões de conexões em 2023, sendo que a América Latina terá o maior crescimento de todas as regiões, com 26,7%, totalizando 995,5 milhões de acessos”, explica Octávio Brasil.

Tecnologia para Smartgrids

A CAS Tecnologia desenvolve todos os componentes de soluções para redes inteligentes. A empresa investe continuamente na criação de equipamentos inovadores, que não existem em qualquer outro lugar do mundo, extraindo o máximo de valor para seus clientes que desempenham grande performance com o mínimo de complexidade. As soluções incluem novidades como:

Iris IoT – Servidor de Comunicação da Plataforma Hemera que permite integrar diferentes dispositivos com diversas tecnologias de comunicação IoT, assim como sistemas e equipamentos que utilizam diferentes protocolos. O Iris IoT automatiza o recebimento, a tradução e a transmissão de informações, entre sistemas e entre dispositivos integrados, através de conectores de protocolos, realizando configurações e o acompanhamento do funcionamento da solução através de relatórios e apresentando informações de forma amigável.

HWs – Os hardwares de transmissão de dados da Linha RS2000 foram desenvolvidos para oferecer soluções dotadas de sofisticadas tecnologias que permitem o gerenciamento, controle, monitoramento e supervisão remota de equipamentos de medição. Trata-se da nova geração de bases inteligentes, a linha Smart SF, em suas versões Mono, Bi e Tri para os medidores polifásicos. Em novos gabinetes compactos, mas ainda detectando corrente diferencial e com relés de corte e religue, suas funcionalidades incluem inteligência embarcada para coleta dos dados de forma automática, comunicação inteligente a partir de regras de negócios configuráveis, comunicação bidirecional, cobertura de grandes áreas geográficas, baixo consumo de energia, facilidade de transmissão de dados e de implantação, fácil configuração e controle total dos ativos em campo e muitos outros recursos.

Outra novidade é o módulo de comunicação RS2000 EVO, que faz parte da nova geração de telemetrias inovadoras da CAS Tecnologia. Uma evolução das telemetrias atuais, que possuem inteligência embarcada e fazem o controle, junto com a Plataforma Hemera, dos dados de medição e do combate às perdas das concessionárias de energia elétrica. A facilidade de manuseio dá mais agilidade às equipes em campo, uma vez que o equipamento permite que tanto a fonte, quanto a bateria sejam substituídas sem a necessidade da troca do seu módulo completo.

 

Confira a matéria direto nos portais: